Ir para o conteúdo
Noticia Arquivada

CSP já tem área para 1ª fase

A Assembléia Legislativa aprovou ontem o memorando da usina, autorizando a doação do terreno

A Companhia Siderúrgica de Pecém (CSP) já tem garantida área suficiente para iniciar a construção da primeira etapa do empreendimento, prevista para funcionar em 2013. Ontem, foi aprovada na Assembléia Legislativa do Estado o memorando de entendimento firmado entre o governo do Ceará, o município de São Gonçalo do Amarante e a direção da CSP para instalação do empreendimento. Com o aval do legislativo, o governo cearense fica autorizado a doar mais 331 hectares à empresa que, adicionados aos 65 hectares já repassados, soma quase 40% (39,6%) do total previsto para a construção de todas as fases da usina.

Segundo o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), Antônio Balhmann, “esses 396 hectares já são suficientes para começar a primeira etapa da CSP”. Ainda de acordo com ele, fica mantida para 1º de dezembro deste ano, a estimativa para o início das obras, com a terraplenagem do terreno. “Os terrenos já estão na mão. Agora, a liberação depende apenas de questões burocráticas”, fala.

A expectativa do executivo cearense, no entanto, é que no mês que vem já ocorra a doação de outros 273 hectares, e assim sucessivamente, até que toda a área prevista para abrigar a siderúrgica seja repassada ao consórcio de empresas sócias da usina siderúrgica.

O memorando de entendimentos para implantação da CSP foi assinado no último dia 17 de junho pelas partes envolvidas na viabilização do empreendimento. O documento aborda detalhes da implantação da unidade industrial destinada à fabricação de produtos siderúrgicos, bem como autoriza a doação de imóveis à Adece, para o cumprimento do memorando.

Além do terreno e instalações, no teor do documento estão especificações sobre energia elétrica, água, esgoto industrial e sanitário, programação de produção, transporte e comunicação, dentre outros. A CSP é uma joint-venture formada pela brasileira Vale e a sul-coreana Dongkuk Steel.

A usina siderúrgica a ser instalada no Pecém produzirá, em sua primeira fase, que deve entrar em operação em 2013, três milhões de toneladas/ano de placas de aço, dobrando a capacidade em três anos. Para o projeto como um todo está previsto o investimento de aproximadamente R$ 15 bilhões.


 

Fonte: Diário do Nordeste – Fortaleza